Ao divulgar mais detalhes do T-Cross, a Volkswagen confirmou que o novo SUV compacto da marca chegará ao mercado brasileiro no primeiro semestre de 2019, mas o modelo será um dos principais destaques da montadora alemã no Salão do Automóvel de São Paulo, a se realizar em novembro próximo. O lançamento mundial será no final de 2018. Na lista dos concorrentes estão o Honda HR-V, Nissan Kicks, Hyundai Creta e Jeep Renegade.

O T-Cross será produzido em São José dos Pinhais e usará a mesma plataforma do Polo e do Virtus. Nas novas imagens,  a Volkswagen revelou um desenho da traseira e deu detalhes de como será o porta-malas do modelo europeu que terá capacidade de até 455 litros e pode chegar a 1.281 litros com os bancos traseiros rebatidos. Ou seja, maior que a versão brasileira que poderá levar até 390 litros de bagagens.

O T-Cross brasileiro terá 4,192 m de comprimento, 1.568 m de altura (1 cm mais alto que o T-Cross europeu) e entre-eixos de 2,649 m (8,9 cm mais longo). O modelo terá apenas motores turbo no Brasil. Serão duas opções flex: 1.0 TSI de até 128 cv, que equipa o Polo e o Virtus, e o 1.4 TSI flex de até 150 cv, que equipa o Golf

Conceito

“I am more” – esse é o slogan de apresentação do T-Cross. Esse slogan reflete a filosofia por trás do SUV: oferecer mais que os outros. Mas sem custar mais por isso. O slogan é baseado em quatro características específicas do T-Cross:  “I am practical” – mais espaço e versatilidade; “I am cool” – design marcante e máxima individualidade; “I am intuitive“ – digital e conectado; “I am safe” – um dos mais seguros da categoria.

De acordo com a Volkswagen, a Estratégia Modular MQB, em resumo, é uma das razões para isso. É a base técnica do T-Cross. O eixo dianteiro deslocado para a frente, aumentando assim a distância entre-eixos, cria mais espaço no interior e aumenta o bagageiro. “Assim, o T-Cross proporciona excelente espaço para as pernas de todos os ocupantes do veículo”, frisa a montadora.

 Além disso, o banco traseiro pode ser dividido (60:40) ou completamente rebatido. Isso cria uma área de carga plana e, assim, ainda mais espaço para bagagens, bicicletas ou pranchas, por exemplo. O rebatimento do banco do passageiro dianteiro oferece ainda mais flexibilidade.

A alta posição de dirigir é típica de um SUV. A visão elevada do T-Cross é percebida por meio da maior distância em relação ao solo e pelo sistema de bancos. Pessoas altas também vão apreciar a posição de dirigir.