A Peugeot lançou nesta terça-feira (28)  o e-208 GT, seu hatch esportivo 100% elétrico, no Brasil. O modelo será oferecido em versão única, por R$ 244.990 e, inicialmente, com vendas somente no Rio de Janeiro e em São Paulo, onde já está em pré-venda. Em Goiânia, o modelo deve chegar até o início de 2022, juntamente com Brasília, Curitiba, Belo Horizonte, Recife e Porto Alegre. Ele terá como concorrentes o Nissan Leaf  (R$ 279.990), Fiat 500e (R$ 239.990), Chevrolet Bolt (R$ 275.000) e Mini Cooper SE (R$ 239.990). A marca ainda promete lançar mais um elétrico no Brasil este ano, o furgão elétrico e-Expert.

Importado da Eslováquia,  o Peugeot e-208 GT é equipado com um motor elétrico que gera 136 cv e 26,5 kgfm de torque, enviados para as rodas dianteiras. Conforme teste WLTP usado na Europa, tem uma autonomia de 340 km com seu conjunto de baterias de 50 kWh. Mas dependendo da utilização, conforme a marca francesa, pode chegar a 400 km.  Ele faz de 0 a 100 km/h em 8,3 segundos e a velocidade máxima é limitada a 150 km/h.

Na hora de recarregar a bateria, o e-208 GT pode usar o carregador portátil incluso com o carro, usando uma tomada de 110V ou 220V, o que pode levar até 16 horas. Usando um wallbox da Weg (que será oferecido nas concessionárias da marca) de 7,4 kW, uma recarga até 80% acontece em 6 horas, enquanto o wallbox de 22 kW reduz esse tempo para 4 horas, porém necessita de uma rede trifásica. O carro também pode utilizar uma das estações de recarga ultrarrápida de 100 kW, na qual o hatch recupera 80% da carga total em 30 minutos. Como todo carro europeu, utiliza tomadas do padrão Tipo 2 (CCS 2 para recarga ultrarrápida).

O câmbio tipo joystick dispõe de cinco modos de seleção: P (Park – estacionamento), D (Drive), N (Neutro), R (Ré) e B Mode. Este último atua de modo a garantir regeneração da bateria, otimizando a autonomia do veículo. O condutor pode escolher entre “moderado”, para sensações semelhantes às de um veículo a combustão, e “aumentado”, para uma desaceleração controlada pelo pedal do acelerador.

Há três modos de condução disponíveis e a escolha fica a critério de quem está ao volante, de acordo com a necessidade do momento. O modo “Eco” tem como foco a otimização da autonomia; já o “Drive” é indicado para garantir o conforto ideal nos deslocamentos do dia a dia, enquanto o “Sport” prioriza o desempenho, utilizando-se da potência e torque máximos.

Construído sob a plataforma modular CMP, o Peugeot e-208 GT mede 4,05 metros de comprimento, 1,96 m de largura, 1,43 m de altura e tem um entre-eixos de 2,53 m. O peso chega a 1.530 kg. Com a CMP, a marca é capaz de manter o mesmo padrão de equipamentos para toda a linha. Isso quer dizer, por exemplo, que mesmo com uma bateria de 220 litros de densidade acoplada debaixo do piso do veículo, a arquitetura da plataforma do e-208 GT permite manter o mesmo volume de porta-malas da versão a combustão (311 litros), espaço frontal e traseiro dos ocupantes idênticos aos da versão a combustão e posição de dirigir e aplicação das mais modernas tecnologias de assistência à condução.

O Peugeot e-208 GT traz painel de instrumentos digital com display de 10” , central multimídia com tela de 7”, faróis e lanternas full-LED, seis airbags, ar-condicionado digital e automático, sensores de chuva e de luz, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, controle de cruzeiro, assistente de permanência em faixa, rodas de liga leve de 16” diamantadas, bancos e volante revestidos em couro, freio de estacionamento elétrico, frenagem automática de emergência, teto panorâmico, carregador wireless para smartphones e mais.

O visual do e-208 GT é semelhante ao das versões a combustão (produzidas na Argentina), incluindo os faróis full LED com luzes de rodagem diurna integradas ao para-choque. Exclusividades do modelo elétrico são os arcos nas caixas de roda e acabamentos do para-choque traseiro pintados na cor preto brilhante, rodas de 17 polegadas e lanterna de neblina, além da óbvia ausência de saída de escapamento.