No mesmo ritmo de evolução do agronegócio brasileiro, a Nova Chevrolet S10 2021 está mais conectada (Wi-Fi nativo), segura, melhor desempenho, mais itens de equipamentos e com novo visual. Embora tenha forte ligação com o setor agropecuário, a Nova S10 atende todos os segmentos com suas três opções de carroceria (cabine dupla, cabine simples e chassis cab), cinco níveis de acabamento (LS, Advantage, LT, LTZ e High Country) com preços a partir de R$ 125.390 até R$ 213.290,00, duas motorizações (2.5 flex e 2.8 turbo diesel), assim como duas opções de transmissão (MT6 e AT6) e tração (4x2 e 4x4), além de sete cores de pintura externa.

O Sobre Rodas testou a versão topo de linha High Country, que é vendida por R$ 213.290. Ou seja, o mesmo preço praticado antes do lançamento em 28 de julho, embora tenha recebido aprimoramento e equipamentos. Por tudo que ela oferece – conectividade, segurança, conforto, design moderno, equipamentos e desempenho - , é fácil constatar que o custo-benefício da S10 High Country é excelente e é mais em conta do que o dos concorrentes.

Wi-Fi nativo
No interior, a principal novidade da linha 2021 da picape Chevrolet  está no sistema Wi-Fi nativo, cujo diferencial é o sinal até 12 vezes mais estável que o de um smartphone, que é capaz ainda de se manter mais tempo conectada à rede 4G em função da antena que amplifica o sinal. Até sete dispositivos podem ficar conectados ao mesmo tempo e o Wi-Fi funciona até 15 metros fora da picape.

A tecnologia ainda permite que sejam feitas atualizações remotas (Over the Air) de sistemas eletrônicos do veículo. Também é capaz de identificar a necessidade de troca de óleo, por exemplo, e enviar um alerta para o WhatsApp do proprietário, que ainda pode iniciar a refrigeração da cabine à distância como forma de experimentar uma das várias funções do novo aplicativo myChevrolet. Incorpora a nova geração do multimídia MyLink, com tela de 8 polegadas, que permite conectar Android Auto e Apple Car Play sem fio. Faltaram entradas USB e saídas de ar-condicionado na segunda fileira.

Design
O visual da Nova S10 está parecido com a picape norte-americana Silverado. Na versão  High Country, a principal modificação está na grade frontal toda escura, que traz o nome Chevrolet em relevo e em destaque, e a gravata dourada, emblema da marca, deslocada do centro e localizada agora mais embaixo, à esquerda. O desenho do para-choque dianteiro também é novo, com aplique central e moldura na parte inferior, mas principalmente com ganho no ângulo de ataque, que passou de 27 para 29 graus.

Os faróis com LED têm o mesmo desenho, assim como o capô. Já os faróis auxiliares passaram para uma posição mais elevada, otimizando a iluminação em situações de off-road.  

Na lateral, chamam atenção as novas rodas esportivas de aro 18. Ela combina as bordas usinadas com o centro e os raios em preto brilhante. Outro aspecto lateral é o santo Antonio, que traz mais volume para a caçamba (1.329 litros), a maior da categoria. Nesta parte do veículo, a principal novidade é o amortecedor da tampa traseira, que torna a operação de manuseio  mais suave. O equipamento é acessório e custa R$ 450.

Na parte traseira, a picape é equipada com câmera de ré que projeta imagens de alta definição e conta com a função de engate. Traz linha-guia específica e zoom para facilitar a operação. Ou seja, facilita estacionar a picape e fazer manobras. Outro recurso deste sistema é que o usuário consegue acionar temporariamente a câmera traseira durante a viagem para uma checagem da situação do reboque.

O  entre-eixos tem 3,10 metros e oferece  bastante espaço para os passageiros do banco de trás, principalmente para as pernas. Os bancos são muito confortáveis, o que é ótimo para quem gosta de fazer viagens longas.

Motor
A picape está muito mais esperta e divertida de guiar. O motor 2.8 a diesel que equipa a High Country conta com uma nova turbina, a mesma que equipa a picape Chevrolet Colorado norte-americana. O novo componente deixa as acelerações mais progressivas, garantindo arrancadas e retomadas de velocidade mais ágeis. A engenharia recalibrou o motor de 200 cv 51 kgfm de torque.  Com isso, a aceleração até 100 km/h ficou 0,2s mais rápida, passando para 10,1s no modelo equipado com transmissão automática de seis velocidades.

A redução no consumo de combustível varia de 3% a 10%, dependendo da configuração e da condição. Isto significa que o custo por quilômetro rodado com diesel ficou ainda melhor nos modelos de entrada (MT6). No teste, a High Country fez 13,4 km/l na rodovia e 10,1 km/l na cidade. Para uma picape do porte da S10 é um feito realmente impressionante.

Segurança
Falando em segurança, a picape já era muito bem equipada. Oferecia alerta de colisão frontal, alerta de saída involuntária de faixa e controle eletrônico avançado de estabilidade e tração, por exemplo. Este pacote ficou ainda mais completo na linha 2021 com o sistema de frenagem autônoma de emergência, que freia o veículo automaticamente ao identificar uma situação de risco envolvendo o veículo à frente ou um pedestre que esteja cruzando a dianteira.

Este recurso funciona de 8 km/h a 80 km/h e pode mitigar ou mesmo evitar um acidente. A S10 utiliza também a câmera deste sistema, localizada no alto do para-brisa, para ajudar o condutor numa frenagem de emergência. O sistema funcionou perfeitamente no teste que realizamos.

A Chevrolet também reforçou a estrutura. A mudança deixou a picape até 20% mais resistente em caso de uma batida frontal, por exemplo. A direção elétrica é leve e bem calibrada.  Tudo isso contribuiu para o melhor balanço entre robustez, dirigibilidade e conforto - tanto no asfalto quanto no fora-de-estrada. Todas as versões agora oferecem seis airbags de série (laterais, frontais e de cortina).