A Nissan projeta mais do que dobrar a venda do carro elétrico Leaf no Brasil, o que significa passar das 200 unidades comercializadas desde 2019 para aproximadamente 500 por ano, que foi o total de modelos vendidos pelo segmento de elétricos no ano passado. Para tanto, a montadora japonesa anunciou a segunda fase do Plano de Eletrificação, cuja ação principal é quintuplicar a rede de concessionárias autorizadas a vender e ter serviços de pós-vendas dedicados aos carros elétricos, passando a disponibilizar o modelo em todas as regiões do País.

Isso significa que, a partir de setembro, o Nissan Leaf estará à venda em 44 concessionárias localizadas em 34 cidades de 15 estados e no Distrito Federal. Em Goiânia, a concessionária Saga Nissan, localizada na Avenida 85, foi escolhida para integrar a nova investida da montadora no segmento. A primeira fase começou com 7 concessionárias em 5 estados e no Distrito Federal, em 3 regiões do país.

“O objetivo da Nissan é ser líder em eletrificação no Brasil. Estamos preparados e com as baterias carregadas para levarmos os elétricos para outro patamar no mercado nacional", afirma Tiago Castro, diretor sênior de Marketing e Vendas da Nissan do Brasil. Segundo ele, todas as concessionárias autorizadas a vender o Leaf vão disponibilizar posto de recarga rápida (6,6 kWh) para veículos movidos a eletricidade.

"A Nissan tem experiência mundial de mais de 10 anos na comercialização de carros elétricos e já vendeu mais de 500 mil unidades do Leaf em mais de 50 países. No Brasil, estes dois anos de pioneirismo no segmento também nos fizeram conhecer melhor os clientes. Estamos chegando a todas as regiões e teremos muitas outras novidades nos próximos meses", reforçou Airton Cousseau, presidente da Nissan Mercosul e diretor geral da Nissan do Brasil. Ele confirmou que a tecnologia híbrida leve e-Power deve vir para o Brasil, mas o modelo não será fabricado no país. No entanto, descartou a venda da van elétrica NV200, mas confirmou a vinda de dois modelos eletrificados para os próximos anos, sem revelar as datas.

Motor e equipamentos

O Nissan Leaf está equipado com um motor elétrico de 149 cv (110 kW) e torque de 32,6 kgfm, que permite acelerar de 0 a 100 km/h em 7,9 segundos e alcançar a velocidade máxima de 144 km/h. Já as baterias de íon-lítio de 40 kWh garantem autonomia de 389 km pelo padrão WLTP e 240 km com uma carga pelo ciclo norte-americano EPA. Ele conta também com o e-Pedal, que permite o condutor simplificar movimentos na hora de acelerar, desacelerar e parar o carro, pois pode utilizar somente o pedal do acelerador para todas essas ações.

Tudo isso com uma economia significativa com recarga/abastecimento. Em um levantamento da Nissan do Brasil com dados médios de mercado para o custo do litro de gasolina e do quilowatt-hora (kWh), a redução de custos de recarga/abastecimento pode chegar a 75% ao se rodar com um Nissan LEAF em comparação com um automóvel de tamanho similar com motor a combustão.

Para assegurar a segurança dos ocupantes, o modelo vem com o Nissan Intelligent Safety Shield, que  integra sistemas como: alerta inteligente de mudança de faixa,  assistente inteligente de frenagem de emergência, controle inteligente de velocidade, sistema de advertência de ponto cego, visão 360° Inteligente com detector de movimento, alerta inteligente de atenção do motorista, sistema de monitoramento de pressão dos pneus e alerta de tráfego cruzado traseiro.

Para incentivar o conhecimento sobre os carros elétricos e desmistificar receios sobre esse tipo de mobilidade, em novembro de 2020, a empresa japonesa e a locadora Movida fecharam uma parceria para disponibilizar o Nissan Leaf para o aluguel tanto para clientes pessoa física quanto jurídica, desde o aluguel eventual até o de longo prazo. Já em junho deste ano, a empresa aderiu ao projeto de solução de mobilidade urbana vec Itaú, que permitirá que usuários desbloqueiem os carros em estações diretamente pelo celular, podendo devolvê-los na mesma ou em outra estação de carregamento.