Após 48 dias de paralisação por causa do coronavírus, a Fiat Chrysler Automóveis (FCA) iniciou ontem o processo de retomada da produção de veículos no Brasil, reabrindo as fábricas da Fiat em Betim (MG) e da Jeep em Goiana (PE). A Renault já tinha retomado a produção na segunda-feira passada (4/05), com rígidos controles de combate ao Covid-19. Também retomaram atividades com metade do pessoal as fábricas da Mercedes-Benz em São Bernardo (SP) e em Juiz de Fora (MG).

Na FCA, apenas parte dos funcionários retornou ao trabalho, pois as operações serão parciais. Segundo a empresa em Minas Gerais 4,3 mil funcionários voltaram ao trabalho. Em Pernambuco, foram 1,5 mil. Para tanto, foi realizado um longo e minucioso processo de planejamento, alinhamento com as experiências de outros países, testes e adaptações, que envolveu profissionais de diversas áreas sob a liderança dos times de Manufatura, Meio Ambiente, Saúde e Segurança (EH&S, na sigla internacional adotada pelo grupo) e Recursos Humanos. Tudo para garantir a segurança dos trabalhadores.

"Na semana passada eu acompanhei pessoalmente todos os passos da nova jornada dos empregados, desde a viagem no ônibus até a volta para casa", informa Antonio Filosa, presidente da FCA. "Seguiremos vigilantes para garantir que a produção seja restabelecida dentro das melhores e mais rigorosas condições de segurança e saúde."

Mercedes-Benz
Na fábrica da Mercedes-Benz do ABC voltaram metade dos 4,5 mil funcionários. Além dos protocolos estabelecidos por órgãos de saúde, a empresa montou um laboratório de campanha em seu pátio para atendimento específico de trabalhadores com sintomas da covid-19.

"Ao todo são cerca de 30 médicos, enfermeiros e auxiliares para o atendimento", diz Fernando Garcia, vice-presidente de recursos humanos. A tenda tem leito, ventilador pressurizado e outros equipamentos.

Mais montadoras
Ao longo deste mês também vão retomar atividades Nissan (21 de maio) Volkswagen  (meados de maio)  e Hyundai em Piracicaba (27 de maio). A General Motors do Brasil pretende manter suas fábricas fechadas pelo menos até 12 de junho, com possibilidade de prorrogação por mais 30 dias. Mitsubishi e Suzuki, em Catalão, têm retorno previsto para final de maio.

A Toyota anunciou que as unidades de São Bernardo do Campos (SP), Indaiatuba (SP) e Porto Feliz (SP) têm retorno estimado para 22 de junho. A fábrica de Sorocaba (SP) deve retornar em 24 de junho. A Honda decidiu estender até 25 de junho o período de suspensão de suas operações nas duas fábricas no Brasil, em Sumaré e Itirapina (SP).

A Ford não tem previsão de retorno de suas s unidades de Camaçari (BA), Taubaté (SP) e da Troller em Horizonte (CE). Também  Caoa Chery/Hyundai  em Anápolis e Jacareí não têm data para voltar às atividades.