O novo Toyota Corolla 2020, o sedã médio mais comercializado no Brasil e no mundo, é também o mais econômico do País ao estrear a inédita tecnologia híbrido flex, que foi desenvolvida na unidade industrial da montadora em Indaiatuba (SP), e é a principal novidade da linha 2020 que chega às concessionárias na próxima quinta-feira, dia 12.

O Corolla 2020 será oferecido em três versões diferentes e duas motorizações: a topo de linha Altis, que inclui as configurações Hybrid Flex e Dynamic Force Flex, ambas por R$ 124.990,00 – a híbrido oferece a opção de um pacote premium por mais R$ 6.000,00; a intermediária XEi Dynamic Force Flex, R$ 110.000,00; e a versão de entrada GLi Dynamic Force Flex, por R$ 99.990,00. 

Sim, o Corolla híbrido flex  Altis fez 16,3 quilômetros por litro durante test-drive realizado em trechos de ruas e rodovias na região de Guarujá, no litoral sul de São Paulo. Ou seja, cumpriu à risca os números da montadora:  com gasolina, o Corolla híbrido roda 16,3 quilômetros por litro na cidade e 14,5 na estrada. Com etanol, os números caem para 10,9 quilômetros por litro na cidade e 9,9 na estrada.  Contudo, a Toyota revela que o modelo consegue superar facilmente a média de 20 km/l no consumo urbano.

Ele é equipado com motor flex 1.8 de 101cavalos no etanol e 98 cavalos com gasolina e dois motores elétricos de 72 cavalos acoplados junto à transmissão, alimentados por uma bateria recarregada pelo motor a combustão e pela movimentação do carro em desaceleração e freagens. Não precisa fazer recargas em tomadas. A bateria fica embaixo do banco traseiro. Os componentes híbridos têm garantia de oito anos, embora a do carro seja de cinco anos. “É para dar mais tranquilidade aos consumidores”, assegura a Toyota. 

O carro esbanja conforto interno, excelente dirigibilidade e segurança. Gostoso de dirigir, é macio ao rodar e passa bem pelos trechos esburacados, devido a uma suspensão mais sofisticada. A transição do modo elétrico para o motor a combustão é quase imperceptível, só notada pelo ponteiro indicativo no painel. Por isso o carro oferece uma direção suave e silenciosa. 

Qualquer pisada mais funda no acelerador, a saída do modo elétrico para o motor a combustão é instantânea. Assim, o carro atende de imediato nas arrancadas, como em ultrapassagens. O conjunto propulsor é completado por um câmbio automático CVT de dez marchas, com opção de trocas sequenciais na alavanca e por meio de borboletas no volante. As trocas estão 20% mais rápidas, de acordo com a Toyota.

Aposta
Embora a novidade no lançamento da Toyota seja o Corolla flex híbrido, a aposta da montadora em termos de comercialização é a versão XEi, que estreia o inédito motor 2.0 16 válvulas, chamado de Dynamic Force, de 177 cavalos de potência com etanol e 167 cavalos com gasolina, 15% mais potente e 9% mais econômico do que o da geração anterior. 

Essa aposta, com efeito, faz sentido, a julgar pelo excelente desempenho do carro, tanto nas ruas quanto nas estradas. O modelo atende com valentia às pisadas no acelerador, principalmente em ultrapassagens curtas, onde é preciso mais força. Mesmo nessas situações, ele mantém a direção firme, inclusive em curvas fechadas. A previsão de vendas é de 4.500 unidades por mês, das quais mais de 1.000 unidades do híbrido.

Visual e interior
No design, o sedã traz linhas mais sinuosas. Faróis e lanternas (de LEDs na Altis) têm curvas internas, enquanto os para-choques receberam vincos nas extremidades. As colunas dianteiras e traseiras estão mais finas, e na dianteira a ampla entrada de ar escura domina o visual. Segundo a Toyota, a estrutura está 60% mais rígida.

O modelo 2020 está 1 cm mais comprido (4,63 m) e a carroceria, 2 cm mais baixa (1,45 m). A distância entre eixos, de 2,7 m, não mudou, assim como o volume do porta-malas (470 litros. O tanque de combustível diminuiu. Antes com 60 litros em todas as versões, agora as equipadas com motor 2.0 têm 50, enquanto a híbrida tem 43 litros.  

Por dentro, o novo Corolla está mais refinado com melhor acabamento. Painel e portas trazem peças de superfície macia ao toque.  O Corolla está disponível em 7 cores diferentes: branco sólido, branco perolizado, preto, prata, vermelho, marrom e cinza.

Versões e equipamentos
Desde a versão de entrada GLi (R$ 99.990), o Corolla é equipado com direção elétrica, 7 airbags (frontais, laterais, de cortina e um de joelho para o motorista), sistema Isofix de fixação de cadeirinhas infantis, controles eletrônicos de estabilidade e tração e assistente de partida em rampas.

Há também nova central multimídia, cuja tela de oito polegadas fica em destaque no alto do painel, com conectividade Android Auto e Apple Carplay,  câmera de ré, direção elétrica,  coluna de direção com ajuste de altura e profundidade, faróis com luzes diurnas de LED e tela TFT de 4,2 polegadas colorida no quadro de instrumentos. As rodas têm 16 polegadas.

A versão intermediária XEi (R$110.990) acrescenta faróis de neblina em LED, chave presencial para entrada no veículo e partida do motor, aletas para troca de marchas atrás do volante, modo de condução Sport, retrovisor interno eletrocrômico, piloto automático, ar-condicionado automático, acabamento com partes de couro preto e rodas de 17 polegadas.

A topo de linha Altis 2.0 (R$124.990) adiciona lanternas e faróis de LED e o pacote Toyota Safety Sense, com piloto automático adaptativo, faróis com facho alto automático, assistente de pré-colisão com alerta sonoro e visual e frenagem automática, e alerta para mudança involuntária de faixa.

Há ainda um pacote premium de série com ar-condicionado de duas zonas, banco do motorista com regulagens elétricas, retrovisores externos com rebatimento elétrico, teto solar elétrico e sensor de chuva.

Na versão híbrida (R$124.990), este último pacote, com preço de R$ 6 mil, é opcional e não há paddle shifts, mas o quadro de instrumentos é digital.

(Maurílio Lemes Faleiro, de Guarujá (SP), para o Sobre Rodas)