Um documento de 422 páginas, entregue ao Ministério Público Federal em dezembro de 2018, deu início a uma investigação sobre o destino de milhões de reais movimentados por funcionários da Assembleia Legislativa do Rio. Elaborado pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), o documento continha o nome de 22 servidores do Legislativo carioca. Entre eles e...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários