Articulador. É esse papel que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse enxergar para si mesmo no futuro. Cacifado como alternativa em 2022 para o Planalto por ter comandado a aprovação da reforma da Previdência em primeiro turno, ele rejeita disputar, pelo menos por enquanto, um cargo do Executivo. "Não quero ser administrador de crise. Enquanto não organizar o...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários