O promotor Cassius Marcellus de Freitas, responsável pela Coordenadoria Estadual de Apoio aos Promotores Eleitorais do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), afirmou que a rejeição pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) da tese de abuso de poder religioso em agosto deste ano enfraqueceu o combate a esse tipo de prática por lideranças religiosas, mas que o minis...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários