Antônio Macedo, médico particular do presidente Jair Bolsonaro, poderá indicar intervenção cirúrgica caso se confirme obstrução intestinal do presidente. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo nesta quarta-feira (14).

Bolsonaro deu entrada no HFA (Hospital das Forças Armadas) para investigar a origem de uma crise de soluços. O presidente está com dificuldade para falar há 12 dias por causa do problema.

Macedo é o mesmo médico que operou Bolsonaro após a facada que recebeu em setembro de 2018, durante a campanha eleitoral. Também realizou outros procedimentos em Bolsonaro desde que ele assumiu a presidência.

Além dos soluços, o presidente também tem refluxo gastroesofágico. Essa condição consiste no retorno involuntário e repetitivo do conteúdo do estômago para o esôfago. Entre os sintomas estão azia e dor torácica.

A assessoria do presidente afirma que ele “está animado e passa bem”. Ficará de observação de 24 a 48 horas.

Caso se confirme, esse será o 7º procedimento cirúrgico de Bolsonaro desde 2018 –a maioria em decorrência do atentado que sofreu.

Histórico médico do presidente:

6.set.2018 – facada: sofre atentado na reta final das eleições e é submetido à cirurgia. Médicos identificaram traumatismo abdominal;

12.set.2018 – obstrução no intestino: submetido a procedimento de emergência depois que tomografia identificou obstrução do intestino delgado;

16.set.2018 – fora de risco: Bolsonaro deixa a UTI, mas permanece hospitalizado;

27.set.2018 – complicações: ainda internado, Bolsonaro apresenta infecção bacteriana após a retira de um cateter. Ocorrência atrasa alta, prevista para o dia seguinte;

29.set.2018 – alta: o candidato à presidência deixa o hospital 23 dias depois da facada;

28.jan.2019 – colostomia: já eleito presidente, Bolsonaro removeu a bolsa de colostomia. Ficou internado por 18 dias;

8.set.2019 – hérnia: procedimento para corrigir hérnia decorrente da cicatrização inadequada da parede abdominal. Procedimento durou 8 horas. Foi liberado depois de 8 dias;

23.dez.2019 – queda: presidente cai no banheiro durante a noite e é encaminhado ao Hospital das Forças Armadas;

30.jan.2020 – exames: médicos avaliaram necessidade de corrigir cicatriz de procedimentos anteriores e reposicionar tela que o presidente recebeu na cirurgia de hérnia em setembro de 2019;

7.jul.2020 – covid: presidente é diagnosticado com coronavírus;

25.jul.2020 – teste negativo: presidente anuncia que está curado da covid-19;

25.set.2020 – cálculo na bexiga: fez cirurgia para remover a pedra na bexiga e recebeu alta no dia seguinte;

24.nov.2020 – exames de rotina: Bolsonaro se consulta no serviço médico da Presidência;

3.jul.2021– soluços: presidente começa a soluçar durante discursos e eventos públicos. A apoiadores, ele disse que os soluços começaram depois de tomar medicação recomendada após um implante dentário;

10.jul.2021 – mal estar: Bolsonaro se retira de jantar com empresários. Mais cedo, os soluços atrapalharam discurso;

14.jul.2021 – nova ida ao hospital: Bolsonaro dá entrada no hospital para investigar a origem da crise de soluços. Médicos recomendam ficar sob observação de 24 a 48 horas, não necessariamente no hospital.