O líder do governo na Câmara dos Deputados, Vitor Hugo (PSL), diz que tentará reaproximar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) do governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM). A fala vem logo em seguida às declarações de Caiado contra pronunciamento de Bolsonaro ontem, em que defendeu a flexibilização das medidas de contenção do novo coronavírus adotadas por Estados e pelo próprio governo federal.

Em coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (25), Caiado anunciou que as medidas de isolamento social e combate ao novo coronavírus no Estado continuarão valendo e que “as decisões do presidente da República em relação à saúde pública não vão atravessar as fronteiras de Goiás.” “No momento em que o mundo pede socorro, se une ao combate contra o coronavírus, vem em rede nacional lavar as mãos, responsabilizar outras pessoas por eventual colapso em nosso País.”

Para Vitor Hugo, a divergência não é irremediável. “A divergência de Bolsonaro com Caiado, outros governadores, e analistas é sobre a dose do isolamento, isto é, se ele deve se restringir apenas aos idosos e imunodeprimidos. A preocupação do presidente é e manter os empregos, pois quanto mais se aumentar as medidas sanitárias, maior a repercussão econômica, de desemprego. Então, vamos esperar a poeira abaixar e tentar fazer essa conversa”, diz.