Com mandato até 2022, conselheiro da AGR vai à Justiça para receber salário

Alegando “perseguição política”, o conselheiro da Agência Goiana de Regulação (AGR) Carlos Peixoto, que tem mandato até o fim de abril de 2022, foi à Justiça para desbloquear seu salário. Servidor efetivo da Comurg, ele chegou ao cargo em…

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários