Caio Henrique Salgado

Ao comentar a bronca dada por lideranças do PSDB goiano ao governador João Doria, o secretário da Fazenda de São Paulo, Henrique Meirelles (PSD), diz à coluna que “o mais importante em um governante é o que ele realiza”. “O governador João Doria está desempenhando um papel fundamental no Brasil pelos resultados concretos do seu governo, inclusive o pioneirismo na vacinação”, continuou. A declaração pode ser lida como uma sinalização para 2022, especialmente em um contexto onde o governo do presidente Jair Bolsonaro é fortemente questionado pela demora na compra das doses de imunizantes contra a Covid-19 e, mais recentemente, pelas suspeitas de corrupção. No fim de semana, Doria esteve em Goiânia, em evento de campanha para as prévias que definirão o candidato à presidência do PSDB, e foi questionado por tucanos a respeito das sinalizações de aproximação de seus auxiliares goianos com o governador Ronaldo Caiado (DEM). Além do próprio ex-presidente do Banco Central, esse é o caso do presidente do PP goiano, Alexandre Baldy (Secretário de Transportes Metropolitanos). Ambos são pré-candidatos ao Senado e seus partidos articulam espaço na chapa governista. Em entrevista exclusiva ao POPULAR (lei nas páginas 6 e 7), o pré-candidato a presidente da República comentou a polêmica e ressaltou que não interfere na vida pessoal dos auxiliares.

Se for obrigado

Responsável pela provocação mais direta a Doria no evento do PSDB, o ex-presidente da Assembleia Legislativa Jardel Sebba adianta à coluna que só apoiará o paulista se o diretório estadual fechar questão.

Palpite

Jardel Sebba avalia que o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, terá a preferência dos goianos nas prévias do PSDB. “Pelas ideias modernas”, justifica antes de completar. “Se fechar com Doria, estarei firme. É preparado também.”

Saudades do ex

O prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha (MDB), revela que o candidato que ele gostaria de apoiar é o ex-presidente Michel Temer. “Gosto do perfil equilibrado do presidente Michel.”

Live

O convidado do Jackson Abrão Entrevista desta segunda-feira é a deputado federal Vitor Hugo (PSL). O programa começa às 10 horas.

Biblioteca

A Assembleia Legislativa abriu licitação para comprar 162 livros jurídicos. O item mais caro (R$ 1.016,24) é o Curso de Direito Civil de Cristiano Chaves de Farias e Nelson Rosenvald, composto por sete volumes. O mais barato (R$ 22,01) é A Constitucionalização Simbólica: Entre a Criação e a Implementação Legislativa, de Ronaldo Peres de Araújo Júnior e Alexandre Sturion de Paula.

Impacto

O Movimento Fretadores pela Liberdade, que reúne empresários do setor de fretamento, aponta, com base em dados da ANTT, que 58 municípios goianos podem ser impactados pela aprovação de projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados e fixa critérios para a concessão para o transporte rodoviário interestadual.

Sem linhas

De acordo com o movimento, 11 municípios goianos sofrerão “apagão total” caso a proposta seja de aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro. São eles: Formoso, Goiás, Inhumas, Montividiu do Norte, Rio Quente, Santa Helena de Goiás, São Simão, Trindade, Trombas e Valparaíso de Goiás.

Made in SP

Banner preparado para o evento do PSDB e que gerou mal estar entre os tucanos de Goiás. O diretório estadual avisou que não tinha responsabilidade sobre o material. (Foto: Divulgação)
Pergunta para:
Kátia Maria | Presidente do PT em Goiás

Como avalia a possibilidade de impeachment do presidente Jair Bolsonaro? É melhor enfrentá-lo nas urnas?

Sempre defendemos a democracia. O problema é que 530 mil pessoas mortas mudam um pouco a rota. A CPI mostra o como está irresponsável a ação do governo no combate à Covid-19. Sempre defendemos o voto direto, o PT sempre se preparou para disputar nas urnas, mas o impeachment é sim alternativa para sair desse atoleiro.

Escolha seu assunto favorito.
E-mail registrado com sucesso!
A partir de agora você receberá seus assuntos preferidos por e-mail.

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários