Na última sessão como ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), o decano Celso de Mello refutou nesta quinta-feira (8) a concessão de "privilégios" e "tratamento seletivo" e defendeu que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deponha presencialmente à Polícia Federal. O julgamento do recurso que discute o pedido do chefe do Executivo para ser interrogado por es...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários