O dinheiro recebido por Goiás pela venda da Celg Distribuição (Celg D) para a Enel foi pulverizado em 2017, o mesmo ano em que ficou disponível para o Estado. Ofícios da antiga Secretaria da Fazenda (Sefaz) mostram que o principal destino teria sido obras em rodovias. Depois, aparecem pagamento de impostos e de pequena parte da dívida que foi contraída para a alienaçã...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários