O diretor-geral do Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO), Wilson Gamboge, afirma que está descartada a possibilidade de turno entre os mesários, porque, segundo explica, está havendo muita desistência por parte dos nomes já definidos, por serem do grupo de risco para contágio da Covid-19 ou estarem em contato constante com pessoas que são mais vulneráveis à doença.

“Por isso, temos intensificado as campanhas para trazer voluntários. Dessa forma, eles terão que cumprir um único turno, pelo período integral de votação”, disse.

Gamboge também informou que tem se reunido com as forças de segurança do Estado para a fiscalização. “A Polícia Militar está orientada a coibir aglomerações no dia das eleições. Esperamos que esse aparato seja eficaz no combate de possíveis abusos”, finalizou.

No Estado, serão seguidas todas as orientações estabelecidas pelo Plano de Segurança Sanitária elaborado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), confirma o diretor geral do TRE-GO.

As regras e recomendações visam garantir maior segurança e se juntam a outras medidas adotadas, entre elas o adiamento das eleições municipais por conta da pandemia da Covid-19. O primeiro turno foi marcado para 15 de novembro e, onde houver, o segundo turno ficou para o dia 29 do mesmo mês.

Outras mudanças já anunciadas são do horário de votação, que passou de 8 às 17 horas para 7 às 17 horas, com uma hora a mais para evitar aglomerações. As três primeiras horas serão prioritárias para pessoas com mais de 60 anos, do grupo de risco. A biometria também foi suspensa para agilizar o fluxo de pessoas e diminuir o contato entre eleitor e mesário.

O Plano de Segurança Sanitária foi elaborado pela Consultoria Sanitária para a Segurança do Processo Eleitoral de 2020, criada em julho e formada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o Hospital Israelita Albert Einstein e o Hospital Sírio Libanês. A “preservação da saúde dos eleitores, mesários, colaboradores, servidores, magistrados e todos os demais envolvidos no pleito é a prioridade da Justiça Eleitoral, de modo a justificar a adoção do máximo de zelo no planejamento das medidas de proteção sanitária e na organização das seções eleitorais”, diz o documento.