O discurso não é radical como o “atirar para matar” e “dar tiro na cabecinha” dos governadores João Doria (PSDB-SP) e Wilson Witzel (PSC-RJ), mas o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), também dedicou boa parte das declarações públicas e atividades dos quatro primeiros meses de governo para apoio e acenos às forças policiais do Estado.Embora repita que o principal foco do iní...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários