A Assembleia Legislativa iniciará autoconvocação, a pedido do governador Ronaldo Caiado (DEM), a partir de sexta-feira. A pauta, formada por projetos de lei do governo estadual inclui a criação do programa de transferência de renda Mães de Goiás, que prevê repasse financeiro de R$ 200 mensais para mães com filhos de zero a seis anos que vivem em situação de extrema pobreza. 

Conforme mostrado pela coluna Giro em junho, o programa deve ser permanente e será bancado com recursos do Fundo Protege, formado por fatia dos incentivos fiscais. A proposta que será enviada à Assembleia prevê que o Mães de Goiás valerá por 12 meses com possibilidade de prorrogação por até 36 meses.

A renda per capita familiar máxima dos beneficiários é de R$ 89, sem considerar rendimentos concedidos por outros programas sociais e os filhos na faixa etária de 6 a 15 anos precisam estar matriculados na rede de ensino com frequência mínima de 75%.

A pauta encaminhada pelo governador inclui outros três benefícios, reunidos em um só projeto de lei. São eles: Bolsa Qualificação, voltada para trabalhadores, artesãos e produtores familiares que realizem cursos de capacitação ou capacitação nos Colégios Tecnológicos da Secretaria da Retomada; Bolsa Alfabetizador, com objetivo de promover a alfabetização de adultos em situação de vulnerabilidade; e Auxílio Alimentação, voltado para adolescentes com idade entre 14 e 18 anos, participantes do programa estadual de contratação de menor aprendiz. 

Outra proposta estabelece regras para a utilização de recursos da Lei Aldir Blanc.