Às vésperas da sessão do Supremo que define, nesta quarta, 2, os limites de uma questão que assombra a Lava Jato, o procurador-geral, Augusto Aras, encaminhou aos ministros da Corte memorial em que reitera posicionamento pela ‘legalidade de sentenças em processos nos quais foi concedido prazo comum para que corréus delatores e delatados apresentassem alegações f...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários