O Brasil tem a responsabilidade, a cada ano, de ser o primeiro país a discursar na abertura da Assembleia-Geral das Nações Unidas (ONU) em Nova York. Nesta edição, a 74ª, os olhos do mundo estão particularmente voltados ao País, já que o governo deve ser questionado sobre a situação da Amazônia — com o aumento das queimadas e do desmatamento —, e também sobre a polític...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários