Crítico do funcionamento da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, o procurador-chefe do Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO), Ailton Benedito, diz que quer integrar a comissão para que ela “de fato funcione.” Seu nome foi indicado para compor o órgão, mas vetado pelo Conselho Superior do MPF. Ao POPULAR, ele conta porque apresentou recurso o...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários