Reportagem nesta edição revela que 76 cidades goianas tiveram aumento de mortes por Covid-19 em 2021, em relação ao ano passado. É uma evidência dramática dos efeitos ainda mais graves da pandemia na chamada segunda onda. Enquanto os números de casos e óbitos crescem de forma acelerada, a velocidade na aplicação da vacina não segue o mesmo ritmo.

Outra reportagem do jornal mostrou na edição de sábado que apenas 9% do grupo prioritário foi vacinado até agora, e não há data prevista para a chegada de novas remessas. À lentidão da campanha, soma-se a desorganização dos critérios do Plano Nacional de Imunização, que permitiu a aplicação de doses em profissionais que não estão da linha de frente do combate à Covid, deixando para trás o grupo que mais morre em razão das complicações da doença. Nutricionistas, veterinários, personal trainers foram vacinados em várias partes do País, enquanto os idosos prolongam a angústia do isolamento, sem um cronograma definido.

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) lança hoje uma campanha pela vacinação de todos os brasileiros até setembro. Para isso, é preciso fiscalizar e cobrar uma campanha ágil e organizada. Ecoa no País o grito da “vacina já e para todos!”