A questão já estava antevista há pelo menos um mês, mas, a despeito dessa leitura prévia, não houve uma solução concreta até o momento. Com estoques limitados, o Ministério da Saúde iniciou busca no mercado internacional para compra de vacina contra sarampo. Diante da explosão de casos pelo País, a pasta procura alternativas para o aumento expressivo da demanda.

Porém, reportagem na edição de ontem indica que o desabastecimento temporário não está descartado. A Vigilância em Saúde da Prefeitura de Goiânia alerta para a possibilidade de haver “uma interrupção de distribuição por questão do laboratório não conseguir produzir a quantidade suficiente”. Para frear a expansão da doença, campanhas voltadas a crianças e jovens adultos foram organizadas.

Embora sejam até certo ponto compreensíveis as dificuldades de se cobrir uma população espalhada por território de dimensões continentais, o que exige planejamento e logística, é preocupante que a mobilização corra risco de se frustrar com a falta de vacina. Se o retorno do sarampo se deve em parte ao relaxamento dos brasileiros quanto à imunização, a suspensão mesmo que temporária da campanha em nada contribuiria para a reversão desse quadro.