Reportagem na edição de ontem trouxe um panorama da situação das unidades do Vapt Vupt espalhadas pelo Estado, que, na troca de governo, passaram por turbulências administrativas.

Os indicadores de atendimento relativos a junho, divulgados pela Superintendência de Gestão do Atendimento ao Cidadão, apontam um padrão dentro do razoável. Foram 906 mil atendimentos num tempo médio de espera de 10 minutos. Três em cada 100 pessoas desistiram depois de tirar a senha.

Na transição de governo, foram extintos 800 cargos, provocando um déficit de 40% de servidores. Dos 1.258 servidores com contratos prorrogados, 980 permanecem vinculados diretamente à operação, assegurando o padrão de atendimento detectado pelos números.

O governo do Estado parece empenhado na consolidação da estabilidade desse serviço, vital para a relação inteligente da população com os serviços públicos.

Porém, até pelo caráter essencial, é preciso um modelo de contratação de pessoal juridicamente mais robusto, seja pela terceirização, seja por outro caminho que não fique suscetível às oscilações políticas características dos cargos nomeados. Só assim o Vapt Vupt não sofrerá solução de continuidade.