Duas boas notícias despertam a esperança de que, enfim, Goiânia passe a preservar o que restou de seu patrimônio histórico e arquitetônico. A Prefeitura da capital sancionou, no dia 3 deste mês, lei que concede benefícios tributários a proprietários de imóveis que adequarem suas fachadas às normas estabelecidas, evitando a poluição visual.

Quase ao mesmo tempo, notificações começaram a ser entregues aos responsáveis por mais de 600 imóveis da cidade considerados de valor histórico. A partir da notificação, as casas não podem mais sofrer alterações ou ser demolidas, já que integram a lista de bens de interesse histórico e cultural de Goiânia. Ambas as medidas convergem para o mesmo objetivo, de valorização e preservação da história da capital, que embora ainda jovem já perdeu grande parte de sua identidade.

O Centro, berço da cidade, vem sendo degradado ao longo do tempo, com prédios históricos escondidos por letreiros comerciais enormes, com deficiência de serviços públicos, problemas de iluminação e lixo, o que afasta os moradores e desvaloriza o bairro. Algumas ações já vêm sendo feitas para reerguer o Centro, como a reforma da Rua do Lazer, mas é preciso mais para que Goiânia não apague sua história.