Redação O POPULAR

Desde que as cidades se moldaram ao uso do automóvel, o desafio dos urbanistas tem sido imaginar estratégias para que as viagens de carro possam ser mantidas em níveis suportáveis para as vias disponíveis, por meio das políticas de gestão da demanda por viagens, a GDV.

Essa postura prevê a limitação da circulação de carros e estacionamento. Há um arsenal de possibilidades, como, por exemplo, a adoção de parquímetros, áreas de estacionamento limitado, pedágios urbanos, zonas com velocidade controlada (como as Zona 40, no centro da capital).

Mas para que uma estratégia de GDV seja realmente eficaz, é necessário contar com incentivos, tanto para atrair usuários para meios de transporte mais sustentáveis, quanto para afastá-los por carro de passeio.

Daí a relevância da medida proposta pelo grupo de trabalho do Plano Diretor, que é objeto de reportagem nessa edição. A inclusão de prédios sem garagem, próximo a eixos de mobilidade, é uma ideia que responde a essa tendência. Até porque não adianta criar obstáculos ao uso do carro sem que se ofereçam alternativas viáveis. Uma coisa precisa andar junto
com a outra.

Desde que as cidades se moldaram ao uso do automóvel, o desafio dos urbanistas tem sido imaginar estratégias para que as viagens de carro possam ser mantidas em níveis suportáveis para as vias disponíveis, por meio das políticas de gestão da demanda por viagens, a GDV.

Essa postura prevê a limitação da circulação de carros e estacionamento. Há um arsenal de possibilidades, como, por exemplo, a adoção de parquímetros, áreas de estacionamento limitado, pedágios urbanos, zonas com velocidade controlada (como as Zona 40, no centro da capital).

Mas para que uma estratégia de GDV seja realmente eficaz, é necessário contar com incentivos, tanto para atrair usuários para meios de transporte mais sustentáveis, quanto para afastá-los por carro de passeio.

Daí a relevância da medida proposta pelo grupo de trabalho do Plano Diretor, que é objeto de reportagem nessa edição. A inclusão de prédios sem garagem, próximo a eixos de mobilidade, é uma ideia que responde a essa tendência. Até porque não adianta criar obstáculos ao uso do carro sem que se ofereçam alternativas viáveis. Uma coisa precisa andar junto
com a outra.

Escolha seu assunto favorito.
E-mail registrado com sucesso!
A partir de agora você receberá seus assuntos preferidos por e-mail.

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários