O dia de ontem começou com uma notícia cuja natureza, infelizmente, o brasileiro se desacostumou de receber. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do IBGE, a taxa de desemprego no País caiu para 12% no segundo trimestre. No primeiro trimestre, a taxa era de 12,7% e no segundo trimestre de 2018, de 12,4%. Mais do que o número em si, visto que 12% de desemprego ultrapassa a razoabilidade, o mais animador nesse dado é a tendência de recuo.

A pesquisa indica ainda que o desemprego recuou em 10 Estados, na comparação com o primeiro trimestre. Diante desse cenário, é preciso reforçar os compromissos com a estabilidade econômica e controle dos gastos públicos para aumentar a velocidade dessa recuperação.

O mesmo levantamento mostra que 26,2% dos desempregados procuram trabalho há no mínimo dois anos. Qualquer dia a mais é um tormento para quem se encontra nessa situação.

Com o mundo ameaçando entrar em recessão, segundo projeções feitas nessa semana, é fundamental que o Brasil robusteça os alicerces econômicos, fomentando o ambiente de negócios e tentando neutralizar a tensão que há anos fermenta no ambiente político.