A Conferência Nacional dos Bispos (CNBB) lançou ontem a campanha da Fraternidade deste ano com um tema muito apropriado para o País, especialmente neste momento de renovação recente das gestões públicas nos Estados e no Brasil. “Fraternidade e Políticas Públicas” é o mote desta campanha, que vai ao encontro de garantias constitucionais nem sempre respeitadas, como o direito à Saúde e à Educação de qualidade, uma forma de combater a desigualdade de renda e romper a evolução da miséria. O cumprimento eficaz das políticas públicas depende da aplicação correta de recursos arrecadados por meio de impostos, em troca dos quais a população tem direito de receber serviços eficientes. Por isso a corrupção deve ser combatida com todo o rigor, já que ela pode ser a responsável por perpetuar a miséria, inflar a violência, roubar a dignidade do cidadão e até mesmo levá-lo à morte. Fraternidade é sinônimo de harmonia, concórdia, irmandade. O conceito, associado ao tema das políticas públicas, convida à reflexão para busca do direito e da Justiça de uma forma solidária, valorizando o interesse da coletividade. Este é um desafio que interessa a qualquer nação que pretende ser justa e buscar a igualdade.