Goiânia vive atualmente um processo decisivo para o ordenamento da cidade. A nova redação do projeto que atualiza o Plano Diretor será enviada esta semana à Câmara de Goiânia, prevendo mudanças que merecem ser fiscalizadas com rigor pela população.

O documento é o que determina as diretrizes para garantir um crescimento disciplinado, com respeito à qualidade de vida dos moradores.

A coluna Giro, publicada ao lado, revela hoje que a mobilização de habitantes do Setor Sul foi essencial para evitar que o bairro ganhasse um adensamento incompatível com seu perfil.

Reportagem nesta edição mostra ainda outra alteração prevista no estudo do novo Plano Diretor: o fim da obrigatoriedade de destinação de áreas públicas para construção de equipamentos como creches e postos de saúde, em novos loteamentos. Os terrenos poderão ser, de acordo com a proposta, trocados por bens, serviços ou obras em bairros já consolidados.

Tais medidas alteram profundamente o planejamento da cidade e merecem toda atenção antes de serem implantadas, para que não haja ainda maior acirramento dos problemas urbanos em benefício de poucos.