Levantamento exclusivo feito pelo POPULAR em 390 endereços de Goiânia comprovou numericamente uma realidade que grande parte da população já suspeitava. Boa parte dos imóveis históricos da capital, localizados em sua maioria no Centro e em Campinas, foi demolida. Outro número considerável de casas já foi modificado e descaracterizado.

A apuração comprova que Goiânia corre o risco de transformar-se em uma cidade sem memória, em ameaça à sua identidade. Abrindo espaço para estacionamentos, prédios ou imóveis comerciais, as casas que contam a história de uma capital planejada no centro do País desaparecem do dia para a noite, dando lugar aos escombros.

Diversas iniciativas prometidas pelo poder público ao longo das décadas, com o intuito de proteger o patrimônio histórico de Goiânia, não chegaram a sair do papel. A mais recente providência foi tomada pelo Ministério Público, que recorreu à Justiça para garantir a preservação de bens históricos. Decisão do mês passado determina que a Prefeitura instaure os procedimentos para tombamento dos imóveis. A ação, no entanto, é feita sob certo sigilo, para evitar o risco de demolições antes que a legislação entre em vigor. É uma tentativa de salvar o pouco que restou de nossa memória e a identidade de Goiânia.