Goiás deve atingir hoje a trágica marca das 5 mil mortes por Covid-19. São vidas derrotadas por uma doença ainda pouco conhecida, que deixou marcas profundas na história de famílias, na economia e nas relações sociais. Embora haja sinais de estabilidade e futuro arrefecimento dos casos, a situação sanitária do Estado ainda merece extrema atenção e cuidados sistemáticos para evitar marcas ainda mais dolorosas. São sete meses de incertezas e isolamento, o que obviamente resulta em cansaço, estresse e ansiedade pela volta da rotina de convivência. No entanto, ainda não é possível garantir segurança na retomada total das atividades e hábitos sociais, o que exige um debate cientificamente embasado sobre propostas como a volta das aulas presenciais. Reportagem nesta edição mostra que ganha força o debate para possível retorno em novembro, com base em ajustes nos indicadores de internação. Goiás pode aprender com a experiência de outros países, de forma a garantir procedimentos de segurança e decidir o momento mais acertado para o retorno. A pandemia é um dos episódios mais desafiadores da humanidade e só ações responsáveis, sustentadas pela ciência, podem superá-los.