Pesquisas realizadas em conjunto pela Universidade Federal

de Goiás (UFG), Universidade Estadual

de Goiás (UEG) e Universidade de Edimburgo, da Escócia, deixam evidente como é fundamental investir na ciência. Os estudos identificaram fósseis de dinossauro em terras goianas, na região de Quirinópolis e Rio Verde, como revela reportagem publicada na edição de ontem. Longe de ser apenas uma curiosidade sobre o passado remoto da região, a descoberta joga luz e amplia o conhecimento sobre ecossistemas no período Cretáceo, informações que ajudam a compreender melhor o presente e ajudam a tomar decisões mais acertadas para o futuro. A pesquisa foi publicada em um dos mais importantes periódicos sobre as ciências da terra, ‘Journal of South America Earth Sciences’, e seus dados poderão subsidiar outros estudos realizados em diferentes partes do mundo. Com o cruzamento de informações reveladas por trabalhos como esse torna-se possível conhecer melhor como eram o clima, a geologia e o meio ambiente do planeta há milhões de anos, conhecimentos preciosos para a ciência.

Apoiar e investir em pesquisa são, sem dúvida, pressupostos para garantir avanços no caminho civilizatório.