Com a economia instável e o desemprego em alta, Goiás viu saltar em 20% o número de microempreendedores individuais (MEI) em um ano. Reportagem nessa edição coloca o Estado como o oitavo em quantidade de MEIs.
Foi a saída encontrada por muitos trabalhadores para gerar renda trabalhando por conta própria, que, de 20 a 24 desse mês, encontrarão capacitação gratuita pelo Sebrae em 68 cidades goianas.

Vale ressaltar que o impulso à formalização de serviços se deu em todo País, nos mais diversos setores. Tanto que houve um aumento de 17% no número de CNPJs criados para MEIs, em relação ao mesmo período entre 2016 e 2017, segundo um levantamento feito pela consultoria MEI Fácil.

Embora a motivação desse aumento seja derivada da crise econômica, é possível enxergar pontos positivos nessa tendência.

Além das garantias previdenciárias de médio e longo prazos, é a mudança nas relações de trabalho, com empresas demandando mais prestadores de serviço. Isso, aliado à maior exigência do consumidor, cria um ambiente para a construção de serviços e produtos de confiança.
É a formalidade, pois, o que gera esse amadurecimento.