Quatro em cada 10 estudantes da rede estadual terminam o Ensino Médio com severas dificuldades de resolver equações matemáticas simples, indicam dados do Sistema de Avaliação Educacional do Estado de Goiás (Saego), divulgados no fim da última semana e objeto de reportagem na edição de ontem. Ainda em relação à aprendizagem da disciplina, os números de 2018 indicam que só 5,9% dos estudantes de 3º ano obtiveram nota acima de 350 numa escala que vai a 500.

Sobre a assimilação do conteúdos de língua portuguesa, dados do Saego indicam 266,8 pontos, o que põe Goiás em estado crítico também para essa matéria.

O desempenho reflete a existência de gargalos na educação de base, que refletem diretamente na formação do aluno do ensino médio e, por consequência, para os estágios seguintes. Identificá-los, para que sejam corrigidos com máxima brevidade, é o desafio que se impõe aos gestores da educação pública atualmente.

Estratégias para reverter o problema surgem aqui e acolá entre educadores, com propostas que vão da capacitação e valorização do corpo de professores à sintonia da escola com as aspirações dos alunos. É preciso, pois, focar nas soluções e não dispersar energia em questões transversais sobre o tema.