No auge do isolamento social, quando os longos períodos em retiro doméstico ofereciam oportunidade de reflexão, imaginou-se uma sociedade mais humana ao fim da experiência.
A situação ainda exige cuidados com aglomerações, a despeito da cenas verificadas no último feriado, mas já é possível assegurar um certo exagero de otimismo nessa expectativa.

Conforme a rotina vai se reinstalando, velhos desvios de caráter ressurgem, mostrando o quanto ainda se precisa andar até termos um respeito mútuo.

Dados da Operação Direção Consciente, realizada pela Delegacia Especializada em Investigação de Crimes

de Trânsito (DICT) de Anápolis, trouxe elementos para a frustração dessa expectativa. Só na primeira semana de setembro, 49 motoristas foram flagrados dirigindo após ingestão de bebidas alcoólicas. Houve 10 detenções no período. Ademais, em 14 dias,
10 pessoas perderam a vida no trânsito da terceira cidade mais populosa do Estado.

Certamente, o exemplo ora colhido trata de caso pontual. Mas traz uma evidência robusta de que qualquer mudança de comportamento não vai se dar pela reflexão pura e simples. É preciso exercício diário de empatia e cumplicidade.