O número de reclamações contra a empresa Enel ao longo do ano de 2019 mostra que a empresa precisa investir muito para atender de forma eficiente as necessidades do Estado. Foram mais 3,1 mil reclamações, 791 além do total registrado em 2018, segundo o Procon.

Como resultado, o órgão aplicou multa superior a R$ 9,1 milhões à concessionária. A prestação de serviços deficiente também fez a Enel em Goiás figurar em quarto lugar no ranking das empresas com maior número de reclamações comerciais, revela reportagem publicada nesta edição. As queixas comerciais são aquelas relacionadas a problemas na fatura, sem relação com quedas de energia.

Só nos meses de janeiro a outubro do ano passado foram 164 mil reclamações. Os números comprovam que Goiás vive uma situação complicada no que se refere ao setor de energia elétrica, fundamental para o desenvolvimento econômico do Estado e bem-estar de sua população.

Sem a garantia de um serviço eficaz de energia, empresas desistem de se instalar em municípios goianos e outras deixam de ampliar a produção, restringindo a utilização de mão de obra e crescimento das cidades. Goiás não pode mais conviver com precariedade em setor tão crucial.