O feriado de 7 de Setembro mostrou que parte da população , em Goiás e no Brasil, não assimilou verdadeiramente os graves impactos sanitários da pandemia do novo coronavírus, que já matou mais de 126 mil pessoas no País. Nos últimos três dias o que se viu em praias e cachoeiras foi um festival de descuido, com aglomerações e desobediência ao uso obrigatório de máscaras. Após quase seis meses de confinamento, este foi o primeiro feriado prolongado com reabertura de comércio e atrações turísticas. A vontade reprimida de sair de casa, associada ao calor intenso, levou uma multidão em busca da diversão, um lazer perigoso que pode provocar consequências dramáticas em famílias e círculo de amigos, as quais deverão se manifestar dentro de duas semanas. A curva de mortos em Goiás, embora demonstre sinais de estabilidade, está ainda em um platô muito alto. Só entre policiais militares, foram três óbitos em 24 horas. O número total de mortes pela Covid-19 no Estado já chega a 3.475. O comportamento irresponsável de turistas que se aglomeram sem proteção pode elevar esse patamar, provocar dor em famílias e fazer prefeituras recuarem na reabertura da economia. A vida pede respeito.