Reportagem nessa edição dá conta de uma providência que há mais de cinco anos não era encaminhada pela Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos (CDTC). O órgão cujo histórico recente se limita a versar sobre o reajuste da tarifa de ônibus convocou os onze membros para imaginar formas de melhorias do sistema e desoneração da tarifa, sem prejuízo ao serviço já tido como pouco confiável. De hoje a dezembro, a pauta da CDTC vai mirar nesses avanços há muito reclamados pela população.

Num momento de sangria de passageiros nas principais cidades brasileiras, onde o transporte coletivo não se firma como alternativa às soluções motorizadas individuais, é fundamental que se discuta a viabilidade do sistema. Fazê-lo melhor com menos aporte por parte do usuário, diluindo o custo à sociedade como um todo, é um desafio que se impõe e a CDTC se mostra disposta a encarar.

Uma mirada sobre modelos bem-sucedidos no mundo, bem como soluções concebidas no seio do universo acadêmico, pode oferecer elementos para esse debate que o órgão, de forma corajosa, assumiu para si.