Reportagem na edição de ontem, sobre a construção de um aceiro para impedir a propagação de eventuais incêndios no Parque Altamiro de Moura Pacheco (Peamp), entre a capital e Anápolis, trouxe um dado sobre o qual é fundamental que se deposite atenção. O número de focos de fogo detectados pelo Corpo de Bombeiros em Goiás de janeiro a julho deste ano chegou a 4.070 ocorrências.

Trata-se de um volume 32% maior que em idêntico período do ano passado, quando 3.084 incêndios foram contabilizados. Daí a razão pela qual o trabalho preventivo no Peamp se torna fundamental para a proteção dos 4.964 hectares protegidos ao longo da Rodovia BR-060. A ação da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável deve contemplar todas as 23 unidades de conservação no Estado.

Nesse contexto de esforço do poder público no sentido da prevenção, cabe ao cidadão assumir também parte da responsabilidade. Isso porque 90% dos focos começam por razões humanas. Bitucas de cigarros e balões, por exemplo, surgem como risco desnecessário. E o rápido acionamento dos Bombeiros em caso de incêndio tende a minimizar impactos.