Os números indicam já de certa forma sistemática uma retração da pandemia no Brasil. Em comparação aos seis meses anteriores, setembro teve uma retração recorde nos indicadores de casos e mortes em decorrência da Covid-19. Entre os dias 1º e 30 houve redução de 17,3% nos registros fatais e de 33,7% nos diagnósticos positivos. A título de comparação, no mês de agosto esse cálculo apontava para reduções de 14,6% e 8,9%, respectivamente.

O cenário expresso pelos dados, ainda que esses apresentem distorções já examinadas em reportagens neste jornal, desencadeia decisões das autoridades de saúde. O Hospital de Campanha de Águas Lindas de Goiás, por exemplo, está sendo desativado por queda na demanda. A rede hospitalar da capital também reduz a oferta de leitos dedicados exclusivamente ao enfrentamento do novo coronavírus.

Nessa edição, noticiamos ainda o teste experimental, mais barato, desenvolvido pela UFG, o que, se bem sucedido, pode acelerar ainda mais a compreensão da dimensão da doença.

Por tudo isso posto, roga-se aos governantes que absorvam esses indicadores como inspiração para, com maturidade, cuidar mais da vida e menos da eleição em seus atos.