Reportagem nesta edição revela que a vacinação para adultos acima de 18 anos começa a desacelerar na capital, em razão da pequena procura nos postos. Em 12 dias, apenas 507 adultos buscaram a aplicação da primeira dose, o que corresponde a uma média de pouco mais de 42 pessoas por dia. É fato que a campanha já avançou muito, mas ainda resta um residual de 17% da população acima de 18 anos que não está devidamente protegida sequer com a primeira dose, o que representa um fator de atenção. Especialistas apontam que é preciso no mínimo 70% da população completamente vacinada para se atingir um grau de maior segurança, reduzindo a circulação do vírus. A Saúde tenta agora identificar as causas desse residual e faz busca ativa em casas. Um dos fatores facilmente identificáveis na redução da procura é a dificuldade de acesso das camadas mais pobres, que enfrentam problemas com o deslocamento. A busca ativa torna-se, portanto, fundamental, para garantir o direito da vacinação à toda a população. A desinformação e as correntes de fake news são outros motivos que desestimulam a imunização e que devem ser combatidos com firmeza, como um verdadeiro crime contra a saúde pública.