Num período onde as autoridades responsáveis pela preservação ambiental assinam atos que vão no sentido contrário, num misto de dissimulação pública e destemor voraz no privado, um dado trazido nessa edição tem a capacidade desânimos com relação ao futuro. Segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica, Goiás se firmou como o 7º Estado brasileiro que mais implantou novas instalações de energia solar em 2020. Ao todo, foram 9 mil novas conexões de geração distribuída, ou seja, postas em operação no próprio local de consumo. O número de conexões do ano passado representa quase o dobro de 2019.

Não custa lembrar, a energia solar é renovável e inesgotável, ao contrário de combustível fóssil. Também se mostra vantajosa em relação a outras fontes renováveis, como a hidráulica, pois ocupa áreas menos extensas do que hidrelétricas. Há ainda uma questão de dádiva geográfica: o incentivo se justifica pelo potencial do país, que, como por exemplo Goiás, possui grandes áreas com radiação solar incidente e está próximo.

Enquanto setores buscam ganham de rapina, à luz das circunstâncias políticas, há quem veja no desenvolvimento sustentável um ativo não só para seus negócios, mas para a sociedade.