Reportagem nesta edição faz um balanço da assiduidade de vereadores nas sessões da Câmara de Goiânia ao longo do primeiro semestre de 2021 e revela resultados preocupantes. Apenas nove parlamentares, o que corresponde a menos de um terço do total, compareceram a todas as sessões. É fato que, em alguns casos, há justificativa plausível, explicada pela pandemia de coronavírus, que atingiu familiares de vereadores, mas a situação não se aplica a todos. Em uma cidade populosa e repleta de desafios urbanos, como é o caso de Goiânia, a população tem o direito de exigir uma Câmara atuante e presente, apta a apresentar soluções criativas. Este ano, a Casa tem em mãos uma das mais importantes tarefas do parlamento municipal: a atualização do Plano Diretor, documento que cuidará de disciplinar o desenvolvimento da capital, garantindo que ele ocorra dentro de parâmetros lógicos e responsáveis. Está também em discussão uma possível revisão do Código Tributário do Município, que pode resultar inclusive em alterações na cobrança do IPTU. São assuntos de extrema importância, que exigem dedicação máxima do legislativo. Aos eleitores cabe fiscalizar e cobrar produtividade dos vereadores.