Se algo ficou evidente depois que o mundo foi transfigurado pelo novo coronavírus foi a importância vital de cientistas e profissionais de saúde. Os primeiros porque, silenciosamente, constroem conhecimento que hoje sintetizam a esperança da humanidade.

Os segundos porque, de posse desse conhecimento, salvam vidas submetendo à própria a riscos.

Na crueza dos números, que parecem mais anestesiar do que espantar, não se capta a dimensão da tragédia humana que se dá entre as paredes dos hospitais.

Reportagem nessa edição, assinada por Thalys Alcântara, destaca a força de um médico escritor que faz essa dor transbordar para além das UTIs, com relatos sobre os pacientes que perde ao atuar na linha de frente da Covid-19.

Breno Leite dos Santos usa as redes sociais para, em relatos sumários para carregados de sentimento, destacar a vida dos que se foram. Dessa experiência, traçou um denominador comum: “todos relatam temor”.

O desprendimento de pessoas como Breno dão um alerta, comovente mas necessário, para que façamos o máximo que nos cabe para não estarmos na posição de sentir esse medo.