No dia 3, O POPULAR mostrava que, por dificuldade de agendamento e falta de dinheiro para o transporte, a cobertura vacinal contra a Covid-19 não avançava nos bairros da periferia de Goiânia. No Parque Santa Rita, Residencial JK e Orlando de Morais, dos 46 maiores de 18 anos consultados pelo repórter Luiz Phillipe Araújo, 25 disseram ainda não ter recebido a primeira dose.

A constatação dessa perversidade provocada pela desigualdade foi noticiada, juntamente com um documentário em audiovisual. No dia 8, o prefeito Rogério Cruz prometeu criar meios de facilitar o acesso à vacina pela população pobre. 
E assim fez.

Na sexta-feira, dia 10, um áudio comoveu nossa redação. Entrevistada pelo repórter fotográfico Diomício Gomes, Maria do Rosário, 49 anos, moradora do Setor Estrela Dalva II, agradecia de coração aberto a abertura de um “espaço maravilhoso” depois de tentar “muitas vezes” se vacinar. 

Estava enfim imunizada com a primeira dose que deveria ter recebido dois meses antes.

Jornalismo é fazer enxergar o que todo o resto encobre. Isso implica em tirar eventualmente pessoas da invisibilidade que, nesse caso, pode matar. 
Esse é o compromisso que o POPULAR renova diariamente, há 83 anos.