Ao longo dos 83 anos de trajetória editorial, celebrados neste fim de semana, O POPULAR foi um desaguadouro de vozes diversas que, na fricção das divergências, ajudaram a compor a alma goiana. Nomes como Carmo Bernardes, Gilberto Mendonça Teles, Belkiss Spencière, Miguel Jorge, Bariani Ortêncio, Bernardo Élis e Marieta Teles Machado escreveram regularmente no jornal. Nesse encontro da literatura com o jornalismo, reafirmaram a força da palavra como instrumento de construção de identidade.

Nessa edição de aniversário, reportagem especial de Rogério Borges no Magazine traça uma ponte entre esse passado pleno de robustez intelectual para um presente não menos luminoso, com os escritores ora a serviço da seção Crônicas & Outras Histórias. Mas fica também compromisso para o futuro.

Num ambiente de febril circulação de informações, a maioria carente de credibilidade, emissores tradicionais precisam ter o compromisso de atuar como um farol de análises criteriosas e de interpretação.
O POPULAR crê no jornalismo de opinião como mais um elemento na compreensão da realidade. É essa crença na força da palavra que também vai nos nortear nos anos vindouros.