Eu já fui a lugares que eu não queria pra agradar pessoas. Já aceitei trabalhos sabendo que o dinheiro ia vir, mas que ia acabar com minha saúde mental. Já disse sim com medo de magoar as pessoas e me senti esgotada depois. Eu descobri que eu não sabia dizer não. E foi um choque. 

A gente aprende tanto a agradar os outros e nem sempre é o melhor caminho pra nós mesmos. Dizer não é um exercício complicado e pra mim custa uma grana em psicanálise. Esse foi um dos melhores investimentos que eu fiz. Há três anos eu quis descobrir mais sobre quem sou, sobre como lidar com as frustrações, sobre em quais situações quero gastar minha energia. Quem eu sou além da mãe de alguém, da esposa de alguém, da filha de alguém, da funcionária de uma empresa? 

Eu sou uma mulher corajosa, forte, inteligente, carinhosa, cheia de respeito pelo outro. Entender quem eu sou foi a primeira parte de um processo de amor. Quando a gente se ama, a gente entende que não dá pra aceitar as migalhas do outro. "Amar ao próximo como a ti mesmo"... Sim, aquela frase linda da Bíblia. E você, se ama de que jeito? Sua companhia te basta, você consegue ser feliz sozinha? Se a resposta é não, talvez você também não consiga dar ao outro o amor que ele merece. E pior, talvez você não esteja se dando o amor que merece. Primeiro você. Depois o outro. 

Repita isso em voz alta: amor próprio não é egoísmo. No avião, o aviso sobre as máscaras de oxigênio pede pra que primeiro você coloque no seu rosto e depois ajude as crianças. Sendo mãe, parece tão difícil uma coisa dessas. A criança vem sempre em primeiro lugar, certo? Errado! A gente precisa estar inteiro pra conseguir se doar. E vale para tudo. Amor próprio não é egoísmo.  Cuidar da gente nem sempre é tarefa fácil, mas é tão necessário. 

Eu gosto de ouvir música em volume alta no carro enquanto eu dirijo. Eu só escuto áudios do whatsapp depois de tomar meu café. Eu só vou a um lugar se eu realmente quiser. Eu digo não hoje. Pra minha mãe, pra minha filha, pro meu marido, pro meu chefe, pra mim mesma. Minha saúde mental tem um preço alto, minha saúde física mais ainda. Amor próprio não é egoísmo. Não é fácil, mas é preciso. Cada dia um pouquinho, a gente precisa se amar, respirar, entender nossos limites, nossas necessidades. 

E você, qual foi a última vez que disse não? Qual foi a última vez que se doou mais do que devia? Tem amado mais ao outro que a si mesmo? Já se amou hoje?