Mohammed Mursi assumiu neste sábado (30) a presidência do Egito. Pela primeira vez, o país será chefiado por um líder escolhido em eleições livres.

Membro do partido Irmandade Muçulmana, legenda que havia sido banida no país, Mursi, 60 anos, fez um juramento na Corte Constitucional, na capital Cairo. Ele será também o primeiro presidente islâmico e não militar.

Na véspera da posse, Mursi falou a simpatizantes na Praça Tahrir – palco da revolução contra o ex-líder Hosni Mubarak, que governou o Egito por 30 anos. Em discurso, o novo presidente prometeu um “Estado civil, patriota e constitucional” e a preservação do “sistema republicano e a independência” do país.

Mursi conquistou 51,7% dos votos no segundo turno, vencendo o general reformado da Força Aérea e primeiro-ministro no governo de Hosni Mubarak, Ahmed Shafiq.