Quando o líder chinês Xi Jinping deixou Brasília depois da cúpula do Brics, em novembro do ano passado, havia a expectativa entre diplomatas no Itamaraty de que os episódios mais turbulentos na relação entre o governo Jair Bolsonaro e a China tivessem ficado para trás. Bolsonaro havia voltado recentemente do país asiático com promessas de investimentos bilionários em inf...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários