O palácio de Buckingham evitou a contratação de "imigrantes de cor ou estrangeiros" em funções administrativas até ao menos o final dos anos 1960, mostram documentos obtidos com exclusividade pelo jornal britânico The Guardian. Nos papéis, descobertos nos Arquivos Nacionais, o gerente financeiro-chefe da rainha informa em 1986 que "não era, de fato, prática nomear...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários